Contato com 1 coisa comum no 2º e 3º trimestre aumenta risco de autismo no bebê

Uma pesquisa publicada na revista científica Nature Communications descobriu que o excesso de chumbo e a falta de zinco e magnésio pode aumentar o risco do bebê desenvolver autismo.

Os pesquisadores concluíram que tanto a exposição a grandes quantidades de chumbo, como a baixa concentração no organismo de zinco e magnésio no 2º e 3º trimestres de gestação e nos primeiros dias de vida do bebê, aumentam o risco dos bebês desenvolverem autismo.

Este é o primeiro estudo a descobrir relação entre essas substâncias e autismo.

Participaram 76 bebês, todos gêmeos. Os bebês tiveram seus dentes analisados e foi observada uma maior concentração de chumbo e menor concentração de magnésio e zinco nos dentes dos bebês que vieram a desenvolver autismo.

O chumbo está presente em altas quantidades em bijuterias. Em fevereiro de 2016, o Inmetro estabeleceu um limite para a quantidade segura de chumbo em bijuterias e joias comercializadas no Brasil. Porém, os fabricantes ainda terão 36 meses para adequação às novas regras.

O chumbo também pode estar presente em tintas, especialmente em casas antigas. Antigamente as tintas possuíam maior concentração do chumbo.

Quanto ao zinco, ele está presente em alimentos de origem animal, como carne vermelha e frango, e também em oleaginosas, como nozes, castanhas e amêndoas.

Já o magnésio está presente em boas quantidades em alimentos como uva, banana e abacate; grãos e derivados como a granola, gérmen de trigo e aveia; sementes e nozes como gergelim, amendoim, girassol castanha e amendoim, além de leite, soja, grão de bico, pão, peixes, batata, beterraba, couve e espinafre.

Seu médico pode avaliar a necessidade de tomar esses suplementos e outros nutrientes na gestação.

 


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇